Guia para ter um Alojamento Local

Guia para ter um Alojamento Local

Há bem pouco tempo explicámos-lhe tudo o que precisava saber de forma a legalizar o seu serviço de alojamento Local. No entanto, hoje iremos explicar-lhe tudo o que precisa saber sobre o funcionamento do mesmo e como angariar clientes.

Se está a ponderar prestar este tipo de serviço, iremos explicar-lhe tudo de seguida.

O que é um alojamento local?

De acordo com o Decreto-Lei nº 63/2015 a exploração de um estabelecimento de alojamento local, é um exercício realizado por uma pessoa singular ou coletiva, que presta serviços de alojamento a terceiros (principalmente turistas nacionais ou estrangeiros).

É também importante ter em conta que para colocar um estabelecimento a funcionar desta forma, existem diversas burocracias que deve ter em conta (pode ver tudo o que precisa para legalizar o seu alojamento no artigo “Guia para legalizar o seu Alojamento Local”).

É ainda importante ter em conta que existem 3 tipologias distintas de alojamento, sendo as mesmas as seguintes:

  • Moradia: estabelecimento cuja unidade de alojamento é um edifício autónomo, tipo unifamiliar.
  • Apartamento: estabelecimento em que a unidade de alojamento é uma fração autónoma de um edifício ou parte de um prédio urbano.
  • Hospedagem: o estabelecimento é constituído por quartos.

Como ter um alojamento local de sucesso?

Pois bem, a verdade é que conseguir obter um bom rendimento associado a um negócio de alojamento local pode não ser uma tarefa simples, no entanto, podemos dar-lhe algumas dicas de seguida que o vão ajudar.

1 – Escolha bem as plataformas a utilizar

Existem diversas plataformas onde pode colocar a o seu alojamento local para arrendamento. O Airbnb é uma das maiores e mais populares plataformas para colocar anúncios de alojamento local, utilizada por pessoas em todo o mundo.

Contudo pode considerar outras como é o Homeaway ou o Booking. No entanto, tenha atenção porque cada plataforma tem as suas regras e cobra preços diferentes, por isso, esta escolha deve ser bem ponderada, tendo em conta estes fatores.

2 – Cumpra as suas obrigações fiscais

De forma a poder manter o seu serviço em funcionamento, é importante perceber que é essencial cumprir sempre as suas obrigações fiscais.

Os rendimentos obtidos através da atividade de alojamento local poderão ser tributados de duas formas distintas:

  • Categoria B, como trabalhador independente com regime simplificado – O coeficiente aplicado é 0,35, ou seja, paga impostos sobre 35% do valor recebido e os restantes 65% são consideradas despesa inerentes à atividade.
  • Categoria F – pode optar por englobar os rendimentos ou tributar os rendimentos prediais à taxa de 28%.

O cumprimento destas obrigações é imprescindível de modo a trabalhar de forma legal.

3 – Verifique sempre as regras das plataformas de arrendamento

Antes de colocar a sua habitação nas plataformas de arrendamento a turistas, leia as regras e perceba quais as diferenças entre as mesmas.

Enquanto algumas lhe dão acesso a diversos pacotes de seguros de proteção (em caso de quebra de alguma coisa na sua casa) outros proíbem o arrendamento de apenas uma assoalhada da casa.

De forma a escolher os mesmos, faça uma pesquisa bastante aprofundada sobre cada uma (existem diversas que pode utilizar). As mais comuns são:

  • Booking;
  • Homeaway;
  • Airbnb;
  • Warmrental
  • Rentalia
  • Only-apartments

4 – Tenha as suas próprias regras

Quem tem um alojamento local (independentemente da tipologia do mesmo) não sabe quem é que pode arrendar o espaço.

Assim sendo, pode criar algumas normas, pois as mesmas ajudam a definir as expectativas dos hóspedes, face à estadia.

Estas regras podem envolver a proibição de fumar, proibição de festas e o horário do ‘check-in’ e ‘check-out’, acesso (ou não) a pequeno almoço….

Antes de reservarem, os clientes necessitam de confirmar que concordam com as regras da casa e por isso, não podem alegar desconhecimento no caso de existir algum problema.

5 – Tenha um pé de meia

Pois bem, os problemas podem sempre existir, assim é essencial que vá criando um pé de meia de forma a ter sempre dinheiro para resolver qualquer tipo de problema que possa eventualmente surgir.

Apesar de existirem seguros disponibilizados pelas plataformas, o dinheiro pode não estar disponível imediatamente e demorar algum tempo até ser disponibilizado.

Além de tudo, conte também com problemas que podem acontecer a qualquer momento, como uma sanita entupida ou um eletrodoméstico que deixou de funcionar. Tudo isto deve ser arranjado com a maior brevidade possível.

6 – Tenha cuidado com as despesas recorrentes

Um alojamento local envolve diversas despesas que têm de ser consideradas (e não estamos a falar dos seguros da casa, IMI, condomínio, arranjos no espaço). Tenha em conta que vai ter recorrentemente despesas com:

  • Água;
  • Luz;
  • Gás;
  • Pacotes de TV, NET, VOZ;
  • Consumíveis (como é o caso de guardanapos, papel higiénico, produtos de limpeza);

Se comprar em grandes quantidades ou em promoção, poderá poupar imenso dinheiro.

7 – Responda sempre a comentários e mensagens

Pois bem, se pretende ter um negócio de sucesso, a chave está na simpatia e na celeridade com que responde aos seus clientes e potenciais clientes.

É importante responder aos comentários, críticas e mensagens deixados no anúncio da casa, de forma a perceber quais são os pontos fortes e as áreas em que pode melhorar.

Lembre-se que um cliente satisfeito irá deixar bons comentários e avaliações que permitem que o seu alojamento seja considerado por muitas outras pessoas. Além de tudo, a comunicação boca a boca pode ser uma ótima aliada do seu negócio.

8 – Defina um bom preço

Nos dias que correm, existem milhares de alojamentos e hotéis a fazerem concorrência uns aos outros. Desta forma, para o consumidor existe uma elevada possibilidade de escolha.

Assim sendo, a verdade é que se um alojamento tiver uma boa avaliação por parte dos clientes e se o preço for acessível (existem imensos espaços que praticam preços altamente inflacionados) acredite que terá sempre casa cheia, mesmo em época baixa.

9 – Contrate um profissional para o ajudar

O alojamento local é uma atividade que exige muito trabalho. Além de tudo, terá de despender muito tempo, uma vez que é necessário receber os turistas, gerir o imóvel e verificar se está tudo em ordem, para receber os próximos hóspedes.

Enfim, são diversas as questões que vai ter de tratar, logo se conseguir uma ajuda d um profissional, o seu trabalho está facilitado.

Agora que já sabe como ter sucesso no seu alojamento local, está na hora de verificar as nossas dicas e coloca-las em prática.

Acredite que será bem-sucedido no seu negócio. E não se esqueça de cumprir com todas as questões legais, de forma a não estar sujeito ao pagamento de coimas.