Airbnb enfrenta obstáculos em Nova Iorque

Taxa turistica cascais
Cascais quer cobrar 1,5 euros a turistas
20 Outubro, 2016
Comprar casa ou arrendar?
Comprar casa ou arrendar?
24 Outubro, 2016

A Airbnb pode vir a experienciar sérios problemas em Nova Iorque, uma vez que se acredita que o governador Andrew Cuomo encontra-se prestes a dar luz verde a um novo regulamento que irá impedir a empresa de actuar na cidade Norte-Americana. De modo a travar esta nova lei, que em muito poderá prejudicar as suas receitas, a Airbnb promete desde já registar todos os hóspedes, punir os infractores e partilhar todas as receitas geradas com a cidade.

Segundo o Financial Times, a comercialização de serviços de alojamento através da plataforma Airbnb poderá vir a tornar-se ilegal em Nova Iorque. Em causa encontra-se a aplicação de uma legislação que penaliza através de multa todos aqueles que publicitem os seus serviços de alojamento através da empresa. Esta lei surge na sequência de acusações de que a Airbnb tem vindo a violar a lei de alojamento de 2010, que proíbe todo o arrendamento de curta duração em Nova Iorque.

De modo a evitar que esta legislação venha a entrar em vigor, a Airbnb já sugeriu a criação de novas regras, entre elas a implementação de um sistema de registo dos hóspedes, bem como uma limitação de apenas um hóspede por cada casa. A empresa disponibilizou-se ainda para pagar impostos em Nova Iorque, o que poderá significar uma receita de 90 milhões de dólares anuais para a cidade.

Apesar  dos seus eventuais benefícios para a cidade, aos olhos da legisladora Linda Rosenthal estas propostas são ainda insuficientes, uma vez que considera que a actividade desta plataforma está a reduzir significativamente o número de alojamentos com preços acessíveis na cidade. Entretanto, a empresa já conseguiu acordar o pagamento de taxas com outras cidades, entre elas Lisboa e Paris.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.